Agência Senado chega a 14 milhões de usuários e 28 milhões de visualizações em 2020

Em tempos de crescimento descontrolado das chamadas fake news (notícias falsas), a informação correta e de credibilidade ganha cada vez mais relevância. Os números de audiência da Agência Senado refletem isso. No primeiro semestre de 2020, o órgão de comunicação que acompanha 100% das atividades legislativas e institucionais da Casa chegou à marca de 28,2 milhões de visualizações e 14,5 milhões de usuários.

Sessão Deliberativa Remota (SDR) do Senado Federal realizada a partir da sala de controle da Secretaria de Tecnologia da Informação (Prodasen). Ordem do dia.   O Senado analisa Proposta de Emenda à Constituição (PEC) nº 18/2020, que adia as eleições municipais, inicialmente previstas para outubro, em decorrência da pandemia de coronavírus. Além da PEC, os senadores também apreciam a Medida Provisória (MP) 932/2020, que, em seu texto original, corta pela metade a contribuição devida por empresas para financiar o Sistema S durante os meses de abril, maio e junho; e um item extrapauta, que propõe autorização para contratação de operação de crédito externo, com a garantia da República Federativa do Brasil.  Senador Lasier Martins (Podemos-RS) em pronunciamento via videoconferência.  Participam: 2º suplente de secretário da Mesa Diretora do Senado Federal, senador Weverton (PDT-MA); presidente do Senado Federal, senador Davi Alcolumbre (DEM-AP); senador Irajá (PSD-TO).  À esquerda, fotógrafo da Agência Senado, Waldemir Barreto.  Foto: Waldemir Barreto/Agência Senado
Foto: Divulgação / RCOM

O número de pessoas que acessaram o Portal de Notícias pelo serviço de WebPush também cresceu de forma significativa: 96% em relação ao segundo semestre de 2019, chegando a 236,3 mil internautas. O push é um sistema de notificação enviado às telas iniciais de qualquer tipo de dispositivo, como celular, desktop ou notebook.

O diretor da Agência Senado, Flávio Faria, acredita que o desempenho se deve ao fato de a comunicação pública de qualidade ser uma fonte segura de informações para a população brasileira e também servir de instrumento de valorização da democracia.

— Os números mostram a importância da comunicação pública, especialmente em momentos de incertezas como este. Temos observado uma avalanche de fake news, ora por desinformação, ora por nítida má-fé. Mas o que vale, no final, é a informação com procedência, com apuração cuidadosa, com lastro na realidade. É o que fazemos. É um sinal de que o jornalismo sério exerce uma função essencial para a valorização da cidadania e o fortalecimento da democracia. É resultado de um trabalho em equipe do qual dá muito orgulho participar — avalia. 

Para a diretora da Secretaria de Comunicação Social do Senado, Érica Ceolin, os números representam um retorno importante para os profissionais que divulgam diariamente o que acontece no Senado para o cidadão. 

— É um reforço para nosso compromisso de informar com agilidade, transparência e credibilidade as votações de projetos e a atuação dos parlamentares. Principalmente neste momento de pandemia, os números revelam que as pessoas querem receber notícias confiáveis — afirma. 

Em relação ao número de visualizações da página, o crescimento é de 44% em relação ao segundo semestre de 2019 e de 98% na comparação com o primeiro semestre do ano passado. Já quantidade de usuários teve elevação de 54% comparada ao primeiro semestre de 2019 e de 84% frente aos primeiros seis meses do ano passado. 

As ferramentas de busca foram a principal origem dos acessos. Do total de usuários, 61% chegaram aos conteúdos do Portal de Notícias a partir das buscas, sobretudo no Google. Os acessos por dispositivo móveis passaram de 65% do total, no primeiro semestre de 2019, para 74% no primeiro semestre de 2020.

Copia e cola

Outro indicativo de crescimento da audiência é a quantidade de comandos de cópia (Ctrl+C) e cola (Ctrl+V) sobre o material produzido. A medição começou em 26 de agosto do ano passado. Desde então, foram 575 mil registros. Só de janeiro a 30 de junho deste ano, foram 374,8 mil, com crescimento expressivo de março em diante, com pico de 89,9 mil em abril. 

O sistema conta um evento de cópia de um parágrafo por 30 minutos e automaticamente dispara a mensagem de direitos autorais. A reprodução do conteúdo da Agência Senado é livre, basta citar a fonte. 

Mais lidas

As reportagens relacionadas direta ou indiretamente à pandemia do novo coronavírus têm despertado o interesse do público. O texto sobre a aprovação do congelamento de salários do funcionalismo foi o mais lido nos primeiros seis meses do ano, alcançando 987 mil pageviews.

Além disso, quatro matérias relacionadas à criação e expansão do auxílio emergencial de R$ 600 pagos pelo governo a trabalhadores prejudicados pela crise figuram entre as dez mais lidas do período.

Imprensa

Além de fazer reportagens especiais sobre grandes temas em discussão no Parlamento brasileiro, a Agência Senado realiza a cobertura universal das atividades institucionais e legislativas da Casa, o que inclui as reuniões das 19 comissões permanentes em funcionamento e suas subcomissões; as comissões mistas com participação de senadores e deputados; as comissões parlamentares de inquérito (CPIs) e as sessões plenárias do Senado e do Congresso.

O material de texto e de fotografia produzido é utilizado diariamente por outros veículos de imprensa do Brasil e até do exterior. Recentemente, por exemplo, o site brasileiro do jornal espanhol El País publicou com destaque um especial sobre racismo produzido pela Agência. 

Outra matéria especial destacada recentemente na imprensa nacional foi sobre a chegada do vírus da febre amarela ao Brasil na reinado de Dom Pedro II. Documentos históricos do Arquivo do Senado mostram que, naquela época também, apesar da gravidade da situação, também houve negacionismo e críticas a quarentenas. 

Fotografia

Desde que as medidas de isolamento social foram implementadas no Distrito Federal, a Agência Senado tem operado em esquema de teletrabalho. Apenas algumas atividades essenciais, como fotografia, permanecem com serviço presencial.

Além de registrar jornalisticamente os momentos relevantes do Parlamento brasileiro, o setor de fotografia da Agência é responsável por tratar, editar, catalogar e manter o acervo fotográfico e jornalístico, atuando para a preservação da memória nacional. 

Em 2019, por exemplo, o Serviço de Fotografia produziu 548 mil fotos, mais que o dobro do ano anterior. Desta quantidade, 129 mil foram catalogadas no acervo histórico da Secom e 51 mil foram inseridas no banco de imagens Flickr do Senado na internet.

Assim como os textos, as imagens são utilizadas pela imprensa. As fotos do Congresso iluminado com as cores do arco-íris no Dia do Orgulho LGBTI, por exemplo, foram publicadas por veículos de todo o país.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: